Storytelling: Dicas e exemplos práticos para ajudar sua empresa a vender

Tempo de leitura: 7 minutos

Storytelling é o nome que damos a mais antiga forma de passar conhecimento através de gerações.

Desde os antepassados, as histórias são usadas para entreter e trazer conhecimento, registrando importantes fatos e aprendizados na história da humanidade.

Um dos exemplos mais comuns de storytelling são as fábulas, presentes em livros infantis, mas que trazem lições de moral que servem para toda a vida.

Você deve ter ouvido algumas fábulas na infância, como a Raposa e as Uvas, de Esopo, que nos ensina que quando não aceitamos nossas próprias limitações, perdemos a oportunidade de corrigir nossas falhas. Ou a conhecida história do Pastorzinho Mentiroso, cuja moral é: mentir acaba sempre por trazer consequências.

Mas não é só de lições de moral que se sustenta uma storytelling.

storytelling

Storytelling e o marketing

Na comunicação, o storytelling é uma maneira de transformar a história da sua empresa em uma narrativa que encanta o seu cliente.

Aplicado ao marketing, o storytelling é capaz de humanizar o seu negócio. Sua empresa ganha uma história e seu negócio, cria vida. Consequentemente, você atrair mais visitantes e agrega mais valor ao seu negócio.

O marketing tradicional está ficando para trás e sendo substituído por estratégias inovadoras que refletem os valores da sua marca.

As pessoas gostam de ouvir histórias e gostam ainda mais quando se identificam com ela.

 

Como o storytelling pode me ajudar a vender mais?

Tão importante quanto a qualidade do que você vende, é a forma como você irá apresentar a novidade ao público.

Além de contar a história da sua empresa, o storytelling pode ainda apresentar a história do seu produto/serviço.

O storytelling humaniza o seu negócio e cria uma relação mais próxima entre a sua marca e o consumidor, que é a oportunidade perfeita para transformar um prospect em um cliente fiel.

 

Aprenda a estruturar seu storytelling

O objetivo da storytelling é narrar situações em que o cliente se identifique, se surpreenda e se encante.

Uma boa história é dividida em três etapas: apresentação, desenvolvimento e resolução.

A primeira fase trata da apresentação dos protagonistas, da época e do cenário.

Já na etapa de desenvolvimento é apresentada a situação e a problemática, que vai aumentando até atingir o ápice.

Na fase da resolução, podemos respirar aliviados, pois é quando surge o seu produto ou serviço para salvar o dia.

Saiba que nem só de texto vive uma storytelling. Muitas vezes, uma única imagem fala por si só. Isso porque os usuários costumam voltar sua atenção a elementos visuais. No caso da storytelling, o texto complementa a imagem e a imagem complementa o texto, formando uma ótima parceria.

Durante a Feira e Congresso de Gestão Internacional APAS 2016, em São Paulo, a Nestlé comemorou os 150 anos de empresa expondo embalagens antigas de alguns de seus produtos mais famosos. Entre os itens expostos, estavam latas de Leite Moça datadas de 1921, 1937, 1950, 1962 e 1972.

história da slatas leite moça

(Foto: Karina Trevizan/G1)

 

Esse é um exemplo de storytelling visual que apela para a nostalgia, despertando lembranças da infância em consumidores mais antigos da marca.

Os pitchs também são uma ótima opção para causar impacto e despertar o interesse do seu público. Trata-se de um vídeo curto, que dura de 3 a 5 minutos que, em geral, apresenta uma abordagem lúdica e bem explicativa.

Neste exemplo de pitch do Itaú, foi criado um personagem principal, o Hilário. O primeiro passo é apresentar o personagem, depois expor a problemática e por fim oferecer a solução.

 

Como introduzir o storytelling na comunicação com o meu cliente?

O uso do storytelling no marketing surge para entreter e prender a atenção do cliente, contando uma história marcante sobre a sua marca. Veja alguns passos para utilizar essa técnica a seu favor:

1) Crie um esboço: antes de escrever a sua história, colete o máximo de informações que puder e atente-se aos detalhes, como datas, ordem cronológica, descrição dos acontecimentos, prezando pela coesão e veracidade dos fatos. Desvendando os Quadrinhos, de Scott McCloud, é um ótimo livro para refletir sobre as formas de contar uma história e entender um pouco melhor sobre o processo criativo e a relação de tempo em narrativas que engajam e funcionam.

2) Utilize diversos canais: para atrair o maior número de clientes e alcançar mais público, sua história deverá ser contada por meio de diversos canais de comunicação, incluindo as principais redes sociais, site, e-books, vídeos.

3) Adapte ao seu público-alvo: adeque seu conteúdo de acordo com o público-alvo que você deseja alcançar. É possível contar a mesma história, dando ênfase a diferentes fatos de acordo com a necessidade e com o canal de comunicação em que ela será vinculada.

4) Adapte ao formato: Além de adequar sua história ao seu público-alvo, adéque-a também ao formato em que será exibida. Em quais plataformas você irá divulgá-la? Isso inclui plataformas responsivas?

  • Para textos: atente-se ao tamanho e disposição dos textos para que se ajustem a cada plataforma.
  • Para vídeos: controle o tom de voz, as expressões faciais, as pausas e o ritmo da narrativa.
  • Para áudios: ajuste o volume do áudio para não atrapalhar a compreensão da narrativa.
  • Para imagens: utilize imagens que estejam em acordo com a missão e a visão do seu negócio.

5) Não peque pelo excesso: ser comovente demais pode acabar passando uma imagem falsa e deixando seus clientes desconfiados. Para não soar muito piegas, destaque os pontos positivos, seja realista e cativante. O livro Story, de Robert Mckee, é um guia prático indicado para qualquer roteirista iniciante. Suas lições podem ser adaptadas para a construção de histórias em geral.

6) Não se esqueça dos coadjuvantes: Lembre-se que uma boa história não foca apenas no protagonista, há outros personagens envolvidos. Fale também sobre as pessoas que o ajudaram a chegar onde está e que colaboraram de alguma forma com o seu sucesso.

7) Seja detalhista e, ao mesmo tempo, sucinto: para não deixar a leitura cansativa, descubra em que pontos você pode se aprofundar e em quais pontos você pode ser breve. Leia e releia o conteúdo quantas vezes for necessário.

8) Seja pessoal: use uma linguagem natural, evite detalhes técnicos e palavras pouco usuais. Conte fatos que façam o cliente se identificar com você e com a sua marca. E o mais importante: seja humano.

9) Não dê lições de moral: ao contrário das fábulas infantis, que sempre trazem um aprendizado baseado em erros, foque nos acertos e deixe que seus clientes tirem suas próprias conclusões. Dê a eles a oportunidade de descobrir o caminho para o sucesso.

10) Releia e revise: antes de publicar a sua história, verifique a ortografia, a gramática, a coesão, a pontuação, a extensão dos parágrafos. Se você não tem muita facilidade com escrita ou tem alguma dúvida sobre a língua portuguesa, que tal contratar um redator? Para o caso de vídeos, que tal fazer algumas aulas de apresentação, gesticulação e expressão corporal?

Os infográficos também são uma ótima maneira de criar seu storytelling, pois unem elementos textuais a elementos visuais. Veja esse exemplo de infográfico publicado no blog do HubSpot, traduzido e adaptado pela equipe do Tutano:

Infográfico: como usar o storytelling para destacar seu conteúdo

Agora que você já sabe como uma storytelling pode ajudar sua empresa a crescer e vender mais, é hora de contar a sua história e captar mais clientes!

CTA eBook 02